O Ankh

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

 



O ANKH



O Ankh é um símbolo cuja forma se assemelha a uma cruz, com a haste superior vertical substituída por uma alça ovalada. Em algumas representações primitivas, possui as suas extremidades superiores e inferiores bipartidas.

- Amuleto em Lapis-Lazuli -



Existem muitas especulações quanto ao surgimento e significado do Ankh mas, ao que tudo indica, os documentos mais antigos onde pode ser encontrado, referem-se a gravuras e hieróglifos com datas a partir da 5ª Dinastia Egípcia, principalmente nos Templos de Luxor, Medinet Habu, Hatshepsut, Karnak e Edfu, além de figurar em diferentes obeliscos, túmulos e murais.

- Ra, Deus do Sol, um dos principais deuses da 5ª Dinastia -



- Ankh no Templo de Karnak -

Como a maioria dos símbolos religiosos e espirituais, não possui um único significado.


Assim, diz-se representar o equilíbrio entre a vida e a morte (imortalidade), bem como entre o masculino e o feminino. Também pode representar a alegria de viver e energia.


Muitas pessoas vêem o Ankh como símbolo da vida e fertilidade, representando o útero.
A alça oval que compõe o Ankh sugere um cordão entrelaçado com suas duas pontas opostas que simbolizam os princípios feminino e masculino, fundamentais para a criação da vida.


- A união das polaridades -


Em outras interpretações, representa a união entre as divindades Osíris e Ísis, o que proporcionava a cheia periódica do Nilo, fundamental para a sobrevivência da civilização. Neste caso, o ciclo previsível e inalterável das águas era atribuído ao conceito de reencarnação, uma das principais características da crença egípcia. A linha vertical que desce exactamente do centro do laço seria o ponto de intersecção dos dois pólos e representaria o fruto da união entre os opostos. Por esse motivo os Egípcios Antigos utilizavam o Ankh para a palavra vida.

- Ísis e Osíris -



No túmulo de Amenhotep II, vemos o Ankh a ser entregue ao Faraó por Osíris, concedendo a este o dom da imortalidade, ou o controle sobre os ciclos vitais da natureza - o início e o fim da vida.


- Amenhotep II -


Em algumas situações, é encontrada próximo da boca das figuras dos deuses, significando um Sopro de Vida.

Como símbolo significa Imortalidade (vida após a morte) e, quando segura contra o nariz de um Faraó morto assegura a existência infinita do Ser.

- Amenhotep recebendo o Ankh de Anúbis -

Na tumba de TutAnkhamon, foi encontrado um porta-espelho na forma de Ankh, já que a palavra egípcia para espelho também é Ankh. Sua presença também é marcante em objectos quotidianos, como colheres, espelhos e ceptros utilizados pelo povo do Antigo Egipto.


- Porta- espelho em forma de Ankh -



São muitos os deuses egípcios que a trazem na mão, em particular Atum, o deus do Sol de Heliopolis, e Sekhmet (quando sentada), a deusa da guerra com cabeça de leão de Memphis.

- Atum -


- Sekhmet -

Um Ceptro was, combinado com uma coluna dejd e um Ankh, é o símbolo de Ptah.

- Ptah -



Por outro lado, Hathor, deusa da alegria de viver e da morte, fazia-se sempre acompanhar de um Ankh com o qual dava vida.

- Hathor -



O símbolo também se encontra associado a Imhotep, médico da família do Faraó. Depois de sua morte, Imhotep foi declarado deus da medicina e da cura. Por essa razão é que este símbolo surge ainda hoje como logótipo de algumas empresas multinacionais de farmacêutica.

- Imhotep -



Aparece diversas vezes desenhad0 nas paredes dos templos como forma de protecção divina aos defuntos.

Para alguns representa a reprodução e a união sexual. Outra teoria é que o Ankh simbolizava o nascer do sol, com a alça oval a representar o Sol que se erguia acima do horizonte. A secção vertical representaria o percurso do sol.


Apesar de sua origem egípcia, ao longo da história o Ankh foi adoptado por diversas culturas.


A Igreja Copta, resultante da conversão dos egípcios ao Cristianismo a partir do século III, adoptou-o como uma forma da Cruz Cristã, pelo que também se tornou conhecida por Cruz Ansata (que em latim quer dizer cruz-com-uma-pega já que a palavra latina Ansa significa Asa) ou Cruz Cóptica.

- Cruz Cóptica -

É muitas vezes denominada como Chave do Nilo (ou da vida), Cruz da Vida ou simplesmente Cruz Ankh.
Porém, a maioria dos conceitos ocidentais não é correcto, pois os Egípcios da Antiguidade desconheciam a fechadura e, como tal, não seria possível associá-lo a uma chave.

No final do século XIX, o Ankh foi agregado pelos movimentos ocultistas que se propagavam, bem como por alguns grupos esotéricos e tribos hippies do final da década de 60.


- Anel em forma de Ankh -



É utilizado na magia contemporânea em rituais que envolvem a saúde, a fertilidade e a divinação; ou como um amuleto protector.



O Ankh também foi incluído na simbologia da Ordem Rosa-Cruz, representando a união entre o Reino do Céu e a Terra.



- Selo Rosa-Cruz -


Em outras situações encontra-se associado aos vampiros, em mais uma atribuição à longevidade e imortalidade.
Ainda se encontra como alusão ao nascer e pôr-do-sol, simbolizando novamente o ciclo vital da natureza.
Hoje, é usada como símbolo pelos Neopagãos.


**********************************************************************

3 comentários:

Vinilideias disse...

Parabéns pelo blog.
Visite-nos … vai valer a pena!
www.vinilideias.blogspot.com

Ander disse...

Otimo post.

Cantinho Wicca disse...

Olha, Adoro... blog super... Abraços